Biblos

Dia 8: Biblos (Líbano)

quarta-feira, abril 04, 2012

Depois do esplêndido café da manhã que tomamos em Beirute, nosso querido motorista Ahmed, nos levou para conhecer a cidade de Biblos, a 37 Km do norte da capital.

Biblos (Byblos), ou Yebeil (em árabe), é uma cidade fenícia, na costa mediterrânea, que foi povoada no período Neolítico, por volta de 5.000 a.C. e é famosa por ser uma das cidades mais antigas do mundo (com mais de 7.000 anos!). Que privilégio poder visitar este lugar tão incrível, tão cheio de história entre suas ruínas!


Um dos mais importantes monumentos de Biblos é o templo do deus cananeu da guerra, Resheph, que foi destruído na época do governo heleno e da chegada de Alexandre, o Grande, em 332 a.C.. Durante o período Romano, o templo de Resheph foi reconstruído e a cidade tornou-se um centro de culto a Adônis (deus da mitologia grega). 


No Século III, foi edificado um teatro em Biblos e a chegada o Império Bizantino fez com que a cidade se tornasse um lugar episcopal e crescesse rapidamente.
Biblos (com o nome de Gibelet ou Giblet) também foi uma importante base militar do século XI e os imponentes restos de seu castelo (das Cruzadas) está entre uma das mais belas estruturas do Líbano.

O imponente castelo de Biblos
Dentro deste castelo, há museus que contam a história da cidade e, lá de cima, dá pra ter uma das vistas mais bonitas de Biblos.



Depois de horas de andança e fotos, saímos do centro arqueológico e fomos conhecer o Souk, o centrinho comercial, de Biblos. Enfim, um centro parecido com o Souk de Dubai, que tanto gostamos. No Líbano, os mercados são todos modernos e este é o único tradicional que ainda resta. Mesmo assim, cheio de restaurantes e cafés arrumadinhos.

A entrada do Souk de Biblos

Fizemos algumas compras e, quando já era noite, fomos abordadas pelo Tony, o dono de um restaurantezinho, que nos ofereceu café e Zaatar. Não dá pra negar nada no Líbano: é até desrespeito. 


Pra variar, ele não nos cobrou e não aceitou nosso dinheiro de jeito algum. Ser mulher, no Líbano, é uma grande vantagem financeira! Hahaha.
E também rolou um xaveco básico e um convite pra sair à noite. E eu fico toda cheia de vergonha, né? Fora que eu não entendia metade das coisas que ele falava, por causa do sotaque carregadíssimo, e respondia "yes". Hahaha.


E assim foi o nosso dia em Biblos. Encontramos o nosso motorista Ahmed, que estava nos esperando em um ponto de Biblos, e voltamos para Beirute onde eu e a Ana nos separamos para sair à noite, pela primeira vez. Ela foi para a baladinha com uns amigos e eu, para a outra completamente diferente com outros amigos. Ambas serão narradas nos dois próximos posts. ;)

Beijos,





Você também poderá gostar de:

2 comentários

Receba o #SinTrip por email



Curta o #SinTrip no Facebook