Leve com Você

Como calcular os gastos da viagem - Parte 2: durante e depois

sexta-feira, junho 08, 2012

No post anterior, apresentei a planilha que usamos para planejar os custos de nossas viagens. Mas sabemos que nem tudo (ou quase nada) dá pra pagar com antecedência e o valor que estimamos para os serviços podem variar muito. Alguns hotéis permitem o pagamento antes, mas são poucos. Ainda assim, eu não recomendo. Vai que você detesta o hotel, né? Daí a pedir reembolso é um problema. Só fizemos isso, de pagar toda a estadia antes, em Las Vegas. Sabíamos que não teria erro.
Mas passagens, ingressos de shows, entradas de parques, guia de turismo... tudo isso dá pra comprar antes e dividir as despesas antes de viajar.

Durante

Quando viajamos com um amigo e temos que dividir tudo, é preciso um pouco de organização. Nem sempre as duas pessoas têm trocado para rachar um táxi certinho, por exemplo, e uma sempre acaba pagando mais que a outra. Não é justo que uma pessoa gaste mais dinheiro que a outra e deixar todas essas contas na cabeça não dá certo, a não ser que você tenha uma memória de elefante.
Eu e a Ana sempre andamos com um bloquinho de papel na bolsa, onde anotamos tudo que foi gasto e por quem. É claro que as compras pessoais não entram nessas anotações, mas se você quiser ter um controle mais preciso do quanto gastou em sua viagem, vale anotar separadamente.


Costumamos não nos preocupar em dividir tudo certinho durante nossas viagens. Quando precisamos pagar algum serviço, damos uma espiada nas anotações e vemos quem gastou mais. Aí a outra paga.
Como os serviços nunca têm o mesmo preço, deixamos para pagar o que devemos uma à outra, quando voltamos para casa e quando chega a fatura dos cartões de crédito.

Depois

Assim que voltamos de viagem, pegamos todos os papéis e passamos os valores para uma planilha de Excel. Veja, por exemplo, como ficou a nossa planilha da #SinTrip para Argentina e Uruguai:

Clique para ampliar
Repare que, assim como nas tabelas de planejamento, não misturamos as moedas. Se algo foi pago (em dinheiro) em Dólar e outro algo em Real, faça a conversão na cotação do dia em que o pagamento foi feito, para então inserir o valor na planilha. Se o pagamento foi realizado com cartão de crédito, aguarde o fechamento da fatura para saber o valor exato da cotação e só então converta as despesas.
Como o IOF é bem alto (6,38%) para compras internacionais no crédito, nós também acrescentamos este valor ao valor gasto para sermos sempre justas uma com a outra.
Se a fatura do cartão ainda não estiver fechada, nós só finalizaremos as contas quando o cartão estiver para vencer.

Até a data de hoje, 8 de junho, nossas faturas ainda não chegaram. Então vamos supor que já tenhamos adicionado todos os impostos aos valores da tabela e que o Peso Argentino tenha fechado em R$ 0,443.

Na coluna G temos o quanto a Ana gastou. Na H, o quanto eu gastei. Para sabermos quanto uma deve para a outra, a conta a se fazer é simples:

Na Argentina (primeira tabela da planilha), a Ana gastou $298 e eu $ 998,96. Se o IOF já estivesse incluso, converteríamos estes valores (que estão em Peso Argentino) para Real (multiplicando por R$ 0,443) e obteríamos os dois valores: o da Ana, de R$ 132,04, e o meu, de R$ 442,64.
Dividindo esses dois valores por dois, obteríamos R$ 66,02 e R$ 221,32, respectivamente:

Argentina
Ana - $ 298 x 0,443 = R$ 132,04 / 2 = R$ 66,02
Luciana - $ 998,96 x 0,443 = R$ 442,64 / 2 = R$ 221,32


Se eu fiquei devendo R$ 66,02 para a Ana, na Argentina, e a Ana ficou me devendo R$ 221,32, basta pegarmos o valor maior e subtrairmos o valor menor. Sendo assim, a Ana ficou me devendo  R$ 155,30.

Para sabermos quanto uma ficou devendo para a outra, no Uruguai, basta seguir os mesmos passos, convertendo de Peso Uruguaio para Real e adicionando os impostos.
Ao final, somamos o quanto uma deve pagar para a outra e pronto. Assim, a viagem é dividida exatamente igual e da forma mais justa.

Se suas compras forem realizadas em Dólar, você sabe que o valor que pagará por elas, quando vencer o cartão, pode variar muito. Foi o nosso caso quando fomos para a Califórnia. Quando saímos do Brasil, o Dólar não estava maior que R$ 1,80. Quando chegamos em San Diego, a moeda bateu R$ 2,00. Para ninguém sair no prejuízo, o único jeito foi esperar chegar a fatura.

Agora, se sua viagem for pelo Brasil, tudo ficará mais fácil. É só anotar tudo direitinho e acertar as contas.
;)

Veja também: Como calcular os gastos da viagem - Parte 1: planejamento

Beijos,

Você também poderá gostar de:

2 comentários

Receba o #SinTrip por email



Curta o #SinTrip no Facebook