Cuba

Nossa experiência com o site HostelBookers.com

sexta-feira, dezembro 21, 2012

Quase entramos em pânico na hora de reservar os hotéis e casas particulares em Cuba. Isso porque nenhum site americano (dos que usamos em nossas viagens) disponibiliza reservas para este país (nem o Booking nem o Expedia...) e estávamos quase apelando para uma agência de turismo (contaremos esta história em outro post), quando decidimos arriscar e fazer a reserva por sites até então desconhecidos por nós.

Buscamos por casas particulares em Cuba, no Google, e vimos que o site HostelBookers.com tinha o maior leque de opções. 


Havíamos lido, em alguns blogs, que várias pessoas chegaram a reservar quartos em casas particulares em Cuba (diretamente com os proprietários) e, quando chegaram nas residências, não havia vaga disponível. Estávamos com medo de passar pela mesma experiência e queríamos garantir que teríamos onde dormir.
Buscamos por reclamações sobre o HostelBookers.com em sites gringos e não encontramos nada. Resolvemos arriscar e selecionamos duas casas que nos agradaram: 

- A Casa Zoe y Victor


Confesso que, antes de mais nada, nos apaixonamos pelas carinhas simpáticas dos donos da casa (realmente eles eram um amor!). O preço era ótimo (R$ 40,74 as duas), as avaliações eram excelentes e as fotos nos convenceram.

- E a Casa Mirta 


O que nos convenceu a escolher a Casa Mirta foi um vídeo que um usuário postou, mostrando a casa e os cômodos. Além disso, 71 pessoas recomendavam a hospedagem e o preço também estava bem atraente (R$ 40,74 as duas, como na Zoe y Victor).

Pagamos 10% da hospedagem para o site (com o cartão de crédito), para garantir a reserva (R$ 4,07) -- pensei que, se não desse certo, perder R$ 8,14 das duas reservas não nos deixaria mais pobres. Os outros 90% do valor deveriam ser pagos diretamente na propriedade (em dinheiro, já que nenhuma casa particular em Cuba aceita cartão), na moeda local (CUC$ 18 por cada casa).
No mesmo minuto recebemos as confirmações:

Clique para ampliar
Clique para ampliar
A política de cancelamento do site dizia que poderíamos desistir da estadia até 2 dias antes do check-in, porém, a taxa de 10% que já havíamos pago não seria reembolsada. O valor cobrado no meu cartão de crédito foi convertido de Libras Esterlinas (então teve taxa de IOF -- mas isso teria por qualquer site estrangeiro).
Se eu quisesse cancelar, deveria fazê-lo diretamente com a hospedagem, através do endereço de email que apareceu na confirmação. Achei tudo um tanto complicado, mas acho que o problema é Cuba e não o HostelBookers, certo? 

Algumas horas depois da confirmação, recebemos um email da Zoe e do Victor -- o que eu achei de uma delicadeza sem igual. (Deu pra perceber que o site entra em contato com os proprietários imediatamente, né?)

Clique para ampliar

Enfim, imprimimos as reservas e apresentamos aos donos da casa (na verdade, eles nem nos pediram) e saiu tudo perfeito, como o esperado. Não tivemos nenhum problema com o site, não houve nenhuma cobrança indevida e não ficamos sem hospedagem.
Se tivermos que usar o HostelBookers.com de novo, usaremos sem hesitar.

Por que não reservamos todos os hotéis por este site? Eu explico no próximo post, sobre a nossa experiência com o site Skoosh.com.

Veja também:

Beijos,

Você também poderá gostar de:

9 comentários

Receba o #SinTrip por email



Curta o #SinTrip no Facebook