Cuba

Comendo (ou não) em Cuba

segunda-feira, janeiro 14, 2013

Comer em Cuba foi uma experiência única. Antes de viajar tinha grandes expectativas, pois a minha lembrança de comida cubana era da época em que morava na Flórida e me recordava de ter provado diversas vezes um tempero gostoso no arroz branquinho e no feijão preto, bastante parecidos com a nossa combinação brasileira. O frango era uma delícia à parte, mas pensava que isso seria superado. Me enganei, mas logo entendi o motivo.

A cozinha cubana tem tudo para ser incrível. Chamada de comida criolla, tem influências espanhola, africana e caribenha, destaca os ingredientes com uma combinação muito especial de temperos, fora o fato de ser extremamente fresca, com muitos vegetais e frutos do mar. A temperatura tropical da ilha é ótima para o cultivo de raízes, como batata e mandioca (yuca). Entre as frutas mais populares, banana e goiaba. Combinações de frango ensopado com tomates, arroz com feijão cozidos ou moros y cristianos, como é conhecido por lá seriam perfeitas se, na prática, funcionassem assim.

Prato de pollo frito con moros y chicharritas.
O grande problema da culinária cubana no todo é a falta de ingredientes. Devido ao problema de racionamento de comida e, obviamente, à cota de "ração" que eles recebem mensalmente -- sim, os cubanos recebem do governo uma assistência chamada de ração que dura, em média, 12 dias com arroz, feijão, açúcar refinado, açúcar mascavo, leite (apenas para crianças abaixo de sete anos), ovos (quando há), batatas e bananas --, a criatividade na cozinha fica em segundo plano. Por diversas vezes senti vontade de levantar e ir até à cozinha, pois eu sabia que poderia ensiná-los a fazer melhor. Bom, para que eles aprenderiam a fazer melhor? O "bom" é tão relativo.

Ainda assim, você encontrará restaurantes interessantes com frutos do mar e frangos com peitos e coxas bem gordinhos. Aliás, esse é um comentário bastante frequente entre as pessoas que vão à Cuba, que é o de não encontrarem frangos inteiros e rechonchudos como vemos por aqui. Apenas em restaurantes superiores você encontrará um peito branquinho para comer. Amigos foram à Cuba e voltaram com dicas gastronômicas que podem valer a visita, mas, ainda assim, não espere muito das garfadas. O melhor de tudo é que você não pagará mais que CUC$ 30 em uma refeição em um restaurante top em La Habana. Por toda ilha você encontrará os famosos paladares, restaurantes instalados na sala de estar de casas de famílias cubanas, mas não se engane. Em Havana há paladares para todos os bolsos e, digamos, por lá eles podem ser considerados o equivalente ao nosso bistrô. O nome pegou, os turistas gostam e são lugares da moda.

Cardápio de restaurante na badalada praça da Catedral de La Habana.
Listei abaixo uma relação com o que geralmente se come em Cuba, bem como uma tradução bem rápida com os principais ingredientes utilizados na cozinha cubana para você não ter dúvida na hora de olhar o cardápio:

No buffet em Varadero, a ensalada diária não variava muito.
Ingredientes
Calabaza: abóbora
Carne de Res: carne bovina, mas não espere filé mignon
Caucha: vagem
Cerdo: carne de porco
Chorizo: linguiça de porco com muita gordura
Frijoles: feijões
Guava: goiaba
Huevo: ovo
Jamón: presunto
Lechuga: alface
Malanga: inhame
Mojo: molho
Palomita: pipoca
Pimiento: pimentão
Plantano: banana (verde)
Pollo: frango
Pulpo: polvo/lula
Sandía ou Melón de Agua: melancia
Zanahoria: cenoura
Yuca: mandioca

Camarones, pescadito a la plancha, langosta y moros (claro) no La Pérgola, na Obispo.
Pratos
Arroz con/y frijoles: arroz branco e feijão servidos separadamente
Boliche: carne cozida, recheada com linguiça de chorizo e ovos
Congri: arroz branco e feijão vermelho cozidos juntos
Ensalada: salada que geralmente tem pepino, vagem, cenoura e repolho
Hamburguesa (con queso): sanduíche tipo hambúrguer, com carne, tomate e pão
Moros y Cristianos: arroz branco e feijão preto cozidos juntos
Pollo grillado: frango grelhado
Ropa vieja a la Cubana: cozido de carne (em Cuba, porco) com base de caldo de tomate
Sandwich: feito com um pão amanteigado, recheado de fatias de bisteca, presunto, queijo, picles e mostarda. Geralmente é prensado na plancha.
Tapas: combinação de pequenas porções
Tostones: plantano amassado e frito
Viandas Fritas ou Chicharritas: "viandas", na verdade, são legumes, mas na maior parte das vezes em Cuba são bananas verdes, salgadas e fritas como chips

Pelas ruas, pipoqueiros, vendedores de massinhas fritas e cobertas de açúcar, além donuts com uma massa bem levinha e sorvete. Os cubanos também gostam de comer uma bobagem na rua e eu também. O que eu mais gostei foi do sorvetinho de R$ 1,50 que tomamos em uma modesta casa, longe do centro. Era simples, mas estava caprichado à maneira da dona da casa que nos tratou super bem. É, acho que isso fez a diferença.

Guloseimas que encontramos por Havana. A massinha frita custou CUC$ 2.
Restaurantes como o El Aljibe (Calle 7, Miramar), que entrou em cena quando o chef Anthony Bourdain comeu um frango com laranja que entrou na lista de lugares para se visitar em Cuba, ou o paladar La Guarida (Concordia, 418, Centro), onde foi gravado o filme "Morango e Chocolate", e até o requintado La Torre (Calle 17, 55, Edificio Focsa), de onde se tem uma belíssima vista de toda a cidade do 36º andar de um prédio antigo fazem valer a pena a experiência.

Até mais!

Você também poderá gostar de:

8 comentários

Receba o #SinTrip por email



Curta o #SinTrip no Facebook