Cuba

Cuba: quanto custa?

segunda-feira, janeiro 07, 2013

Uma coisa que temos aprendido com o tempo é gastar pouco. Cada vez menos. Em nossa primeira viagem pelos Estados Unidos, "viajamos" na hora de calcular os gastos. Tudo saiu muito mais caro do que imaginávamos e gastamos muito mais do que esperávamos (R$ 10 mil cada uma). Apesar de os Estados Unidos serem a terra do consumo, sabemos que abusamos. Compramos coisas inúteis e voltamos com as malas abarrotadas de tranqueiras (e presentes para todo mundo). Além disso, poderíamos ter economizado mais nas passagens aéreas (pagamos R$ 2.400 cada uma), porque hoje sabemos que dá pra encontrar por menos.
Na viagem pelo Oriente, conseguimos gastar a metade (R$ 5 mil cada uma), mas ainda assim, dava para ter economizado mais. Resistir às compras é uma coisa que também estamos aprendendo e sabemos que isso só é possível com experiência. 
Em Cuba, conseguimos nos controlar muito mais e pensar bem antes de gastar o nosso dinheiro. Apesar de ser tudo relativamente barato e não haver grandes opções de compras, a vontade de sair distribuindo notas em todas as lojas e restaurantes, em troca de bons produtos, é sempre grande (em qualquer viagem).
Mas chegamos à conclusão de que, se queremos viajar muito, várias vezes ao ano, é preciso ser racional e economizar sempre. Em tudo. Inclusive, abrindo mão de algumas regalias (como hotéis lindíssimos ou aluguel de carro). 
É claro que gostamos de conforto e luxo (quem não gosta?), mas temos conseguido vivenciar experiências muito boas sem precisar deixar o salário inteiro em um hotel ou restaurante. Basta pesquisar, ler muito sobre o destino antes de viajar, conversar com quem já foi e comparar preços e vantagens.
Para você ter uma ideia, conversamos com várias pessoas que conheciam Cuba e ouvimos opiniões muito diferentes. Algumas diziam que o lugar era um paraíso e que tudo era incrivelmente barato, outros diziam que a viagem era cara e que os gastos foram muito maiores do que imaginavam. Estávamos com receio porque pagaríamos tudo em dinheiro (como a Ana contou aqui, pouquíssimos estabelecimentos aceitam cartão) e à vista, e não sabíamos sequer quanto sacar para levar na carteira. Acabei levando R$ 600 em Euro e só precisei sacar dinheiro uma vez, no fim da viagem (CUC$ 50). A Ana levou um pouco a mais, mas foi suficiente, já que estávamos com os hotéis pagos, como expliquei aqui e aqui.
Sobre as passagens aéreas, demos sorte, sabemos. Mas foi por causa do preço baixo que decidimos o nosso destino. Afinal, não era nosso plano já visitar Cuba. Queríamos ir para o Canadá antes e acabamos desistindo por causa do frio. Olhamos mil e um destinos quando encontramos passagens para Cuba por pouco mais de mil reais. Sabíamos que este sempre foi um trecho caro e o preço estava imperdível. Expliquei tudo neste post.

Como já mostrei aqui no blog, nós sempre criamos tabelas para calcular os gastos antes, durante e depois de todas as nossas viagens. Colocar "no papel" (na tela, no caso) facilita muito na hora de economizar.
Abaixo, estão as tabelas de nossa viagem à Cuba. A primeira mostra o que pagamos antes de sair do Brasil e a segunda, tudo que gastamos no país do Fidel. Ambas as tabelas mostram os valores tanto na moeda local (segunda coluna) quanto convertidos para Real (quarta coluna) gastos por nós duas, já que sempre dividimos tudo e acertamos as contas na volta para o Brasil. O modo como fazemos esses cálculos está todo explicadinho no post "Como calcular os gastos da viagem - Parte 2: durante e depois".

Clique para ampliar
Clique para ampliar

Antes de sairmos do Brasil, gastamos um total de R$ 3.227,75 (as duas), com passagem e reservas. Durante a viagem, gastamos juntas apenas R$ 1.049,15 por 9 dias. Sendo assim, gastamos, no total, R$ 4.276,00 (incluindo bobagens como souvenirs e comidinhas no decorrer dos dias). A viagem custou R$ 2.138,45 para cada uma. Foi a viagem internacional mais econômica que fizemos até agora. E pretendemos, cada vez mais, mostrar a você que não é preciso gastar uma fortuna para conhecer o mundo (sem abrir mão do conforto e da segurança).
Não viaje sem antes comparar os preços e pense bem antes de gastar seu dinheiro. ;)

Veja também:
- Como calcular os gatos da viagem - Parte 1: planejamento
- Como calcular os gastos da viagem - Parte 2: durante e depois
- Cuba: o dilema do dinheiro - Parte 2

Beijos,

Você também poderá gostar de:

14 comentários

Receba o #SinTrip por email



Curta o #SinTrip no Facebook