Leve com Você

HELP! Je ne sais pas hablar su idioma

sexta-feira, fevereiro 03, 2012

Aprender novas línguas, além de ser divertido, é condição quase que obrigatória para nós, que vivemos em um mundo globalizado. É importante para o trabalho e para os estudos, mas é importante também para conhecer novas paisagens. Graças às oportunidades que tive para viajar durante a última década, percebi que a comunicação não é fator determinante para curtir um destino diferente, mas ela pode ajudar, e muito, a melhorar a sua experiência em terras estrangeiras.

"Mas o mundo inteiro fala inglês". Eu também pensava assim, mas tive que tirar meu cavalinho da chuva em alguns momentos. Vamos começar pelo começo, vai. Imagine-se com 13 anos e, embaixo do braço, aquele livro de exercícios com títulos como "Learning is Easy - Vol. I" ou "Hey, look who is speaking English!". A cena só não é mais perfeita, porque você passava, pelo menos, cinco anos em uma escola de inglês, não é?


Uma coisa é certa: você só vai aprender a se virar em inglês direito quando, de fato, precisar dele. E o teste de fogo vai acontecer em uma loja de ferramentas no centro de uma microcidade no meio do Tennessee. Sim, já aconteceu comigo, bem como o clássico frase que você não entende + responde com um "yes" + a pessoa diz que ela não fez uma pergunta. É, amigo, muitos de nós já passamos por isso. Sim, meus caros, todos os seus anos de esforços nas aulinhas de inglês valerão a pena, não se preocupem. No entanto, em alguns países a coisa muda de figura.
 
 

Grande parte do mundo fala inglês, mas não são todas as pessoas que farão questão de falar em inglês com você. Quem já foi à França, provavelmente, tem alguma história sobre um francês irritado que entortou o nariz ao te escutar pedir, com o maior sorriso do mundo, "Hi, can I have a ham baguette, please?". Muitos são gentis, mas em tom de brincadeira perguntarão se você não consegue falar francês. Confesso que me senti constrangida, não por não saber falar, mas por não ter conhecimento daquele idioma lindíssimo. Países como República Tcheca, Holanda e algumas regiões da Alemanha também são carne de pescoço, mas com jeitinho a gente se comunica.

Aqui vão algumas dicas para se dar bem em destinos onde pouco se fala inglês:

1) Antes de viajar, compre ou empreste aqueles dicionários de bolso, com frases essenciais para pedir comida, fazer uma ligação internacional ou saber como chegar a algum museu. Antes de falar com alguém, no entanto, seja gentil e deixe claro que você não fala a língua. Muitas pessoas simplesmente apreciarão o seu esforço em se comunicar no idioma local e farão o possível para te ajudar. :)

2) Não sinta vergonha, pois ela não será sua amiga na hora do aperto. Em cidades turísticas, os comerciantes estão habituados a falar com pessoas do mundo todo, então, se não houver jeito, lance aquele portunhol ou francês a la Joey Tribbiani.

3) Se você arrisca o idioma e, em uma conversa, não entender o que o outro disse, peça para a pessoa repetir. Falo isso simplesmente para você não ser lesado em uma negociação comercial, por exemplo, precisar de uma mudança importante na sua reserva de hotel ou na hora do câmbio.

4) Use gestos. É ridículo e muitas vezes tiramos sarro de quem já precisou imitar um elefante para saber onde era o zoológico, mas é uma carta na manga. Lembre-se de como você era bom no jogo Imagem & Ação e gesticule like a boss.

5) Menininhos e menininhas, atenção: não se reprimam. Se uma paquera vale a pena, não deixem de engatar um papo, mesmo que pré-histórico style, para se comunicar. Pode ser que a graça da quase-conversa entre vocês seja o que faltava para quebrar o gelo. <3

6) Aprenda uma nova língua. Esse é um investimento que vai valer para a vida toda e poderá transformar a forma como você conhece um novo lugar.

Não entenda mal, as pessoas não querem não falar inglês porque não gostam de você. Ou dos Estados Unidos, caso alguém goste de teorias de conspiração. Entender um pouco da história do lugar para onde você está viajando pode ajudar. Muitos países viveram anos sob forte repressão, com obstáculos para acesso a outras culturas ou simplesmente são supernacionalistas. Isso não os faz piores ou arrogantes, mas apenas, diferentes de você.

Aí está a maior beleza em viajar: aprender. :)

Até!

Você também poderá gostar de:

0 comentários

Receba o #SinTrip por email



Curta o #SinTrip no Facebook