California

Review: hotéis na Califórnia (EUA)

sexta-feira, agosto 31, 2012

Muita gente tem nos pedido dicas de hospedagem na Califórnia e perguntado sobre a qualidade dos hotéis onde nos hospedamos. Apesar de termos narrado nossas experiências uma a uma nos posts sobre os Estados Unidos, achei que facilitaria a busca dos leitores fazendo um apanhado de nossas opiniões. 

Lembrando que optamos sempre pelos hotéis econômicos (a maioria Inn), com exceção de Los Angeles, onde nos hospedamos em dois hotéis cinco estrelas por um valor bem abaixo do normal, que conseguimos através de um site de leilão.

San Diego

Quando buscamos por um hotel em San Diego, não tínhamos a menor ideia de que região escolher. Pensamos que ficar perto do SeaWorld seria uma boa, já que o plano era passar dois, dos quatro dias, no parque aquático.
Escolhemos o Good Nite Inn SeaWorld. Todos esses hotéis que terminam em Inn são econômicos, feitos para quem está de passagem. Nós sabíamos disso, mas o preço baixo da hospedagem foi um fator muito importante na hora da escolha.
Pagamos US$ 196 por 4 noites! Como chegamos na quarta, pegamos a tarifa mais baixa (US$ 42) e pagamos pela mais alta no final de semana (US$ 54). O quarto tinha duas camas queen size e nossa reserva foi feita com antecedência pelo Booking.com.


Entre os recepcionistas, havia uma jamaicana burra e grossa, que falava um inglês tão cheio de sotaque que nós mal entendíamos o que ela dizia. Fora que nosso quarto era no segundo andar e subir e descer as escadas com aquelas malas enormes (e a minha ainda quebrada pela linda da Continental Airlines) não foi fácil. A vista era não dava pra lugar algum, a não ser para uma rua meio deserta, com um boteco pé-sujo. Pelo menos havia quarto para fumantes (já que é proibido fumar nas ruas de San Diego).
Assim que fiz check-in no hotel pelo Foursquare, chegou uma mensagem de um amigo meu, americano, dizendo para tomarmos cuidado com a região. Realmente, não parecia muito segura. Mas nós moramos em São Paulo, meu bem. Somos espertinhas.
De qualquer maneira, não andamos a pé em nenhum momento. Não por medo, mas porque tudo era muito longe. Não sei o que seria de nós sem um carro em San Diego. Nem para o SeaWorld dava pra ir a pé.
No geral, valeu a pena pelo preço e pelo fato de estarmos de carro. Se estiver a pé, procure algo mais perto das praia, onde haja um agito legal à noite e seja tranquilo pra caminhar.

E tem frigobar pra guardar as tranqueiras do Walmart
Avaliação (de 0 a 10)
Segurança: 4
Limpeza: 9
Conforto: 9
Localização: 5
Atendimento: 3
Preço: 10
Geral: 7
Observações: Estacionamento gratuito (mas aberto para a rua), Wi-Fi por US$ 5 a diária e quarto para fumantes.

Anaheim

Em Anaheim, a cidade da Disney da Califórnia, nos hospedamos no Travelodge Disneyland, um dos mais econômicos da região. Se você olhar o mapa, achará que o hotel fica bem próximo dos parques da Disney mas eu garanto que não dá pra ir a eles a pé. Acontece que não dá pra ir a pé de nenhum hotel, a não ser do Resort que fica dentro do próprio parque (caso você esteja disposto a pagar bem mais pela diária).


Reservamos um quarto duplo, mas só havia uma king size. Como não nos importamos em dividir a mesma cama (ainda mais quando ela é gigante como esta), não ligamos pra este fator.
O atendimento neste Travelodge foi bem bacana. O cara foi prestativo quando pedimos para ficarmos em um quarto no andar térreo (porque estávamos com muitas malas).
A decoração é bem cafona, com quadros de vidro com desenhos da Disney, mas achei tudo bem confortável.  
Pagamos US$ 59 pela diária (de sábado para domingo), que reservamos pelo Booking.com. Infelizmente, acordamos atrasadas e perdemos o café da manhã continental, que estava incluso e, por isso, não podemos dizer se é bom ou não. Mas pertinho dali há um iHop, melhor lugar para o desjejum, não é? ;)

Só lembramos de tirar a foto quando estávamos de saída. Desculpe a bagunça. :)
Avaliação (de 0 a 10)
Segurança: 9
Limpeza: 9
Conforto: 9
Localização: 8
Atendimento: 8
Preço: 9
Geral: 8
Observações: Estacionamento, café da manhã e internet Wi-Fi gratuitos. Possui quarto para fumantes.


Los Angeles - Hollywood

Havíamos reservado um quarto no Hollywood Historic Hotel, por indicação de um amigo gringo, que disse que um outro amigo brasileiro sempre se hospeda lá quando vai para LA. Pelo visto, esse amigo brasileiro não liga para cheiro de mofo.
O cara da recepção não conseguia dividir o pagamento do quarto por dois (nós sempre rachamos as despesas do hotel no balcão mesmo), nem conseguia passar o cartão no débito. Quando subimos as escadas que levavam aos quartos e vimos aquele corredor sinistro, nos sentimos no filme O Iluminado. Estávamos tão cansadas que o aspecto velho dali nem deveria nos incomodar, mas incomodou - e muito!
Assim que eu entrei no quarto, comecei a espirrar, tossir, lacrimejar e a sentir minha garganta fechando. Não íamos procurar outro hotel aquela hora da madrugada e decidimos ficar por ali até o amanhecer. Quem disse que eu tive coragem de entrar no banheiro? O piso da nossa suíte era todo cheio de ondulações. Certeza que fora remendado após um terremoto qualquer. Fiquei sem tomar banho mesmo, com medo de o chão despencar!
Pedimos um quarto para fumantes e, na hora em que fui acender meu cigarrinho, vi que a janela não parava aberta. Era daquelas que abrem pra cima, de vidro, sabe? Chamei o cara da recepção e pedi que ele arrumasse a janela pra mim. Sabe o que ele fez? Colocou um papelão para segurar o vidro de cima. E o medo de a janela despencar? Eu estava com medo de tocar em qualquer coisa... Foi bizarro.
A única coisa boa dali é a localização. O hotel fica em uma das principais ruas de Hollywood e dá pra ver o famoso sinal da janela do quarto. Mas não compensa, até porque não é barato -- comparado a outros (US$ 80 a diária).

A única vantagem que encontramos: a vista do quarto
Avaliação (de 0 a 10)
Segurança: 5
Limpeza: 2
Conforto: 2
Localização: 9
Atendimento: 4
Preço: 8
Geral: 5
Observações: Estacionamento e Wi-Fi grátis. Possui quarto para fumantes.

Los Angeles - Beverly Hills

Quando deixamos o hotel de Hollywood, saímos em busca de outro lugar para ficar. Em Beverly Hills, fomos dar uma olhada em dois hotéis baratos (US$ 90 era o menor preço da diária por ali), que vimos no Booking.com: o Beverly Inn e o Roadway Inn. Péssimos. Os dois com um "estacionamento" (entre aspas por aquilo não era bem um estacionamento) na rua e recepção terrível. Não merecem nem avaliação. ;)


Decidimos rodar a cidade de carro e bater de porta em porta. Chegamos em um, ainda em Bervely Hills, na Santa Monica Blvd, chamado Beverly Star (que eu não achei na internet por nada nesse mundo). Havia um japonês, meio mexicano, meio sei lá-o-quê, na recepção, que não entendia nada do que a gente falava. Aliás, é muito comum você encontrar gente morando e trabalhando no Estados Unidos, sem saber falar inglês. Bizarro, mas é verdade. Custava 90 dólares a diária e, quando vimos que as toalhas do quarto estavam furadas, demos no pé. Assim, pra pagar R$ 180,00 por um quarto, eu exijo o mínimo de limpeza, conforto e organização. Senão eu fico em albergue (também não. Detesto!). Resumindo, não recomendo.
Acabamos não encontrando nenhum hotel decente e econômico em Beverly  Hills e, por isso, partimos para Santa Monica.

Los Angeles - Santa Monica

Fomos para Santa Monica e, no caminho, vimos um hotel chamado Ocean Park Hotel, que tinha diárias a partir de 90 dólares. Pedimos para ver o quarto e quando percebemos que o mesmo não tinha banheiro, nem pensamos duas vezes. Banheiro compartilhado nem a pau! Quando estávamos saindo, vimos uma plaquinha com um aviso de "área de alta radioatividade. Perigo de contaminação". Nossa! Tchau MESMO!


Demos mais uma andada por Santa Monica e só encontramos hotéis por US$ 180, US$ 200, US$ 250 a diária. Se estiver disposto a pagar isso, aconselho que você fique em Santa Monica mesmo, que é um dos lugares mais bonitos de Los Angeles. Muito melhor que Beverly Hills ou Hollywood. ;)

Los Angeles - Santa Clarita

Estávamos desesperadas por não conseguir encontrar um quarto para ficar e pedimos ajuda de nossa amiga Deanna, que mora em LA. Ela acessou o Priceline e conseguiu alguns dias para nós no Hyatt Regence, em Valencia, Santa Clarita (o condado de LA onde ela mora), por US$ 90 a diária. Maravilha! Um hotel cinco estrelas pelo mesmo preço de um lixão em Beverly Hills!
Apesar de Santa Clarita ficar a uns 40 minutos do agito de Hollywood, isso não nos incomodou muito (estávamos de carro), já que tudo é longe em Los Angeles. E o trânsito é bizarro sempre.
Por 90 dólares, estávamos mais que seguras, num bairro super tranquilo, podendo tomar um banho quentinho, no conforto de um quarto lindo e maravilhoso, em um hotel animal, com serviço excelente e com as melhores camas (duas queen size MEGA macias) em que dormimos em toda a Califórnia. Além disso, o Hyatt tem o banheiro lindo, todo espelhado e do guarda-roupas com cofre.
Ao redor do hotel há um shopping e um centro comercial. Há várias lanchonetes e diners como o Friday's, o Denny's, o McDonald's e afins por ali. E também um Walmart bem pertinho. :)

Um dos únicos hotéis com bellboy (o moço carregador de malas)

Avaliação (de 0 a 10)

Segurança: 10
Limpeza: 10
Conforto: 10
Localização: 7
Atendimento: 10
Preço: 10
Geral: 10
Observações: Estacionamento grátis. Wi-Fi por US$ 19 por dia. Proibido fumar nas dependências do hotel.


Ficamos apenas alguns dias no Hyatt e logo tivemos que partir. Nosso amigo Barry nos ajudou com a reserva seguinte, já que não encontramos nenhum hotel bom e barato no centro. Também no Priceline, ele conseguiu reservar um quarto no Marriott Courtyard Santa Clarita, também em Santa Clarita, por 20 dólares a mais (US$ 110 a diária), para nós.
Outro hotel lindo de morrer e delicioso. Pena que em nosso quarto só havia uma cama king size. Tudo bem, a gente não liga, mas que o Hyatt estava melhor, não tínhamos como negar.
O bom deste hotel é que ele fica colado no Six Flags Magic Mountain, aquele parque de diversões super famoso (que nós nem fomos - cansamos de parques na Califórnia), numa cidadezinha super tranquila, mas sem nada por perto.



Avaliação (de 0 a 10)

Segurança: 10
Limpeza: 10
Conforto: 9
Localização: 6
Atendimento: 9
Preço: 9
Geral: 9
Observações: Estacionamento e Wi-Fi grátis. Proibido fumar nas dependências do hotel.



Los Angeles - LAX/ Marina del Rey

Em nossa segunda visita a Los Angeles, resolvemos nos hospedar perto da famosa Marina del Rey, onde queríamos sair à noite. Reservamos um quarto no Travelodge LAX, hotel simples, mas não precisávamos de muito para apenas uma estadia. Para chegar é tranquilo: fica bem perto do Aeroporto Internacional de Los Angeles (LAX), que, por sinal, é enorme. Ficamos a menos de 6km de Marina del Rey, com seus 4 km² e iates. O local, como o próprio nome diz, é uma marina localizada dentro da Grande Los Angeles, localizada entre Venice Beach e Playa del Rey.
O que me irritou ali foi o tanto que tivemos que andar para chegar em nosso quarto. Era um sobe e desce sem fim, com mala quebrada na mão, que me deixou exausta!
O atendimento não é lá grandes coisas... Chegamos até a discutir com o recepcionista porque ele não conseguia dividir a diária em dois cartões. Outra coisa que nos incomodou foi o estacionamento, que estava lotado e tivemos que deixar o carro no restaurante Denny's ao lado do hotel. Aí, sem ajuda pra carregar as malas, já viu, né? No fim, achei meio caro (US$ 80) para o que ofereceu.

É vantagem estar perto do aeroporto, para quem está de passagem por LA

Avaliação (de 0 a 10)

Segurança: 7
Limpeza: 8
Conforto: 7
Localização: 8
Atendimento: 6
Preço: 7
Geral: 7
Observações: Estacionamento e Wi-Fi grátis. Permitido fumar nos corredores, que são ao ar livre.


Santa Cruz

Em Santa Cruz, nos hospedamos no Travelodge Santa Cruz Riviera, o Travelodge mais mofado da rede. Hahaha. O atendimento, de uma recepcionista mexicana idosa e lerda, foi péssimo. Nosso quarto tinha uma única cama king size, meio velha, e o quarto era para fumantes. O melhor é que conseguimos estacionar o carro na porta do quarto, o que facilitou nossa arrumação das malas.
O valor da diária foi bom: saiu por US$ 62. Como chegamos no fim do dia, mortas de cansaço, e só ficamos por uma noite, não pudemos conhecer muito bem a região, mas senti firmeza na segurança. No dia seguinte vimos que estávamos bem próximas à praia. Se for passar por Santa Cruz, acho que este hotel até vale a pena. Baratinho e numa região legal.



Avaliação (de 0 a 10)

Segurança: 8
Limpeza: 6
Conforto: 7
Localização: 8
Atendimento: 4
Preço: 9
Geral: 7
Observações: Estacionamento e Wi-Fi grátis. Possui quarto para fumantes.


San Francisco

Em "SanFran", nos hospedamos no Travelodge at the Presidio e foi, de longe, o melhor Travelodge em que estivemos. Como San Francisco é uma cidade bem cara, a noite saiu por US$ 129, o preço mais caro que pagamos por hotel em toda a viagem pela Califórnia. Mas nós procuramos por hotel barato, viu? Não encontramos nada que não fosse nas regiões que ouvimos dizer que não são muito seguras (como Mission e Downtown). O bairro Presidio, perto do parque e do porto (Divisadero), é bem tranquilo. Deu pra dormirmos sossegadas.
Pelo menos o atendimento foi perfeito (o recepcionista era o maior gato da América!), o quarto era o mais bonito e arrumadinho da rede (com duas camas queen size) e havia estacionamento e Wi-Fi de graça. Só o banheiro que não tinha janela.


Avaliação (de 0 a 10)

Segurança: 9
Limpeza: 10
Conforto: 10
Localização: 8
Atendimento: 9
Preço: 5
Geral: 9
Observações: Estacionamento e Wi-Fi grátis. Possui quarto para fumantes.

Como éramos muito "inexperientes" na primeira #SinTrip, nos esquecemos de fotografar todos os quartos ou fazer vídeos como fizemos nas viagens seguintes. Era muita empolgação pra lembrar disso, né? Mesmo assim, espero que tenha ajudado. ;)


Beijos,

Você também poderá gostar de:

2 comentários

Receba o #SinTrip por email



Curta o #SinTrip no Facebook