Leve com Você

Filmes de viagem - Parte 3: para assistir com as amigas

segunda-feira, julho 16, 2012

Em nossa série sobre filmes de viagem, já falamos sobre dicas-chave para dar asas à sua inspiração e para assistir com as crianças. Hoje, darei dicas de filmes para assistir com as amigas naqueles encontros "girls only", com brigadeiro, vinho, pipoca uma saladinha e suquinho natural. ;) São filmes para vários momentos, mas, em sua maioria, farão você e suas amigas quererem fazer as malas na hora e ingressarem em uma viagem com promessas de um grande amor e resoluções pessoais. Nada é garantido, mas quem disse que tudo na vida é?

Vamos às sugestões?

Antes do Amanhecer (Before the Sunrise, 1995)


Além de contar com a participação do incrível (e gato) Ethan Hawke, acredito que seja um dos filmes mais especiais sobre relacionamento que já assisti até hoje. É uma história simples na qual dois jovens, um americano e uma francesa (Julie Delpy), se encontram em um trem pela Europa com destino a Paris. Após algumas horas de conversa, ele a convida para descer em Viena e passarem o dia por lá. Jesse, com passagem marcada para voltar aos Estados Unidos e Celine, com uma vida para seguir em Paris. Durante um pouco menos de 24 horas, longos e simples diálogos se desenvolvem, no entanto, muito profundos. Eles falam sobre relacionamentos, amor, sexo, família, poder de decisão. Tudo isso sob uma aura muito interessante de amor à primeira vista, de uma vida sob perspectiva e também de frustrações. Se você ainda não assistiu, não vou estourar a bolha.

É um filme que apresenta uma ideia de que uma viagem pode abrir seus olhos e sua mente para novos horizontes, te dar novas formas de pensar e te fazer se interessar novas pessoas. E já aviso: quando terminar, não haverá um plano de viagem no qual você não deixe de incluir, mesmo que em sonho, que tudo isso pode acontecer longe de casa, que você pode conhecer aquele homem ou aquela moça incrível que vai virar a sua cabeça e te fazer considerar ficar, onde quer que você esteja. <3

Antes do Pôr-do-Sol (Before Sunset, 2004)


Nove anos depois, o reencontro. Depois de uma promessa de seis meses que se desmanchou em quase uma década, Jesse e Celine se esbarram em Paris. Mais velhos, suas questões também amadureceram, bem como suas expectativas. A Cidade Luz desta vez é o palco para conversas intermináveis sobre a leviandade de se crer que há apenas uma cara-metade, sobre o desgosto por um passado que saiu fora do controle e que ninguém lembra quando, e sobre a dualidade de sentimentos -- seus e dos personagens. Permita-se cair de amores por Paris e imaginar que tudo, mesmo os problemas, podem ser mais bonitos por lá.

E este ano tive uma ótima notícia: o terceiro filme da série já está sendo filmado. <3

O Amor não tira Férias (The Holiday, 2006)


Fofo, engraçadinho e Jude Law. Três itens que podem atrair você, cara leitora, e suas amigas, para assistirem a este filme que ainda conta com a linda Kate Winslet, Cameron Diaz e o fofo do Jack Black. Iris (Kate), jornalista nativa de de Londres, e Amanda (Cameron), uma workaholic editora de trailers de Los Angeles, são duas mulheres bem-sucedidas que vivem momentos dramáticos em suas vidas amorosas. No entanto, em uma noite tensa para ambas e claro, desconsiderando o fuso-horário, as duas descobrem um site que promove intercâmbio de residências. É como se fosse um couchsurfing, mas de casas. Ok, nada realista para nós aqui no Brasil, mas no filme funciona direitinho. Quando as duas decidem passar a semana do Natal, cada uma no país da outra, muita coisa acontece. Aparecem o Jude Law, o Jack Black e todos os problemas vão embora. Mentira. Mas os problemas ficam mais interessantes, com certeza.

Assim como uma viagem pode abrir seus horizontes, ela também pode te ajudar a resolver problemas, esquecer ex-amores perdidos e dar uma forcinha para deixar aquele excesso de bagagem que você trouxe de casa. A diferença é que momentos assim só te fazem levar souvenirs bacanas, daqueles que duram uma vida inteira :)

Vicky Cristina Barcelona (Vicky Cristina Barcelona, 2008)


Então o Javier Bardem chega na sua mesa em um restaurante e te convida para um fim de semana com boa comida, bom vinho e sexo. Só que ele convida você AND sua amiga. Falem o que quiser, Woody Allen não erra. Este filme tem todos os elementos -- e até os clichês -- sobre o calor e a personalidade da Espanha no verão. Una a isso Scarlett Johansson e Penélope Cruz. Pronto. :) A história conta sobre Vicky (Rebecca Hall), uma menina meio chata, mega prática e que precisa de sentido para tudo, precisa de chão. Já sua amiga Cristina (Scarlett) tem alma de artista, não liga para as convenções, pois o que ela quer são as sensações. Entra na brincadeira a Maria Elena (Penélope), uma apaixonada, ciumenta, louca e linda ex-mulher de Juan Antonio. Esse cara funciona como uma espécie de imã nesta trama de personalidades e necessidades que se fundem e se transformam ao andar do filme.

Se você não concordar com os questionamentos propostos por Allen, sobre amor e compromisso, pelo menos dará risadas com a intempestividade de Penélope Cruz e, com certeza, soltará altos suspiros com a voz grave e olhar perfurante de Bardem.


Comer Rezar Amar (Eat Pray Love, 2010)



Quando li o livro a primeira vez, imaginei "logo farão um filme". Dito e feito. Apesar de, na maioria das vezes, me decepcionar com filmes inspirados em livros, a primeira coisa que me deixou feliz foi o fato de que Julia Roberts faria o papel de Liz Gilbert. A auto-biografia é meio incrível, difícil encaixar na minha realidade, pois nunca na minha vida pensaria que isso aconteceria comigo. Se você ainda não viu ou não leu o livro, Liz é uma jornalista passando por um daqueles momentos cruciais na vida, começando por um complicado divórcio. Aos pedaços, ela decide tirar um ano sabático e planeja uma viagem para a Itália, para a Índia e para a Indonésia. Na sua lógica, viveria intensamente a maravilha de aprender italiano e comer loucamente, a quietude da meditação e da busca pela resposta ao que busca e, finalmente, se entregaria às belezas de um paraíso natural, lugar que lhe traria um novo amor.

Para ser bem honesta, não consigo imaginar outro motivo para assistir a este filme a não ser se animar para fazer isso quando eu crescer. Pulando a parte do drama pessoal, Liz Gilbert concluiu o plano perfeito para qualquer pessoa que tenha vontade de se jogar no mundo, seja homem ou mulher. Embora esta história reúna todos os benefícios que indiquei nas sugestões anteriores, não creio que a experiência de Liz seja para todo mundo. Se você acha que não é para você, que a ideia da distância signifique quebrar com suas raízes, que tal assistir de novo e pensar que toda partida tem um retorno? Raíz que é profunda de verdade, se faz crescer na alma. :)

Sex and the City - O Filme e Sex and the City 2 (Sex and the City: The Movie - 2008,  Sex and the City 2 - 2010


Depois que a série deixou milhares de mulheres órfãs pelo mundo todo em 2004, para nossa alegria, quatro anos depois, em 2008, foi lançado um filme que contou o que, de fato, aconteceu quando Sex and the City terminou. Carrie, Samantha, Charlotte e Miranda voltam às telas e apresentam mulheres mais maduras, com novos dramas e caminhos que não imaginávamos que pudessem cruzar as vidas de nossas heroínas contemporâneas. Este é, sem dúvidas, meu preferido.

Em 2010, contudo,  as divas partem para os Emirados Árabes e a continuação das aventuras de SATC é que o classifica para estar aqui, neste post. :) Ok, concordo que o longa tanha tudo a ver com o viagem que a Lu e eu fizemos no início do ano, mas achei too much. Colorido demais, fantasioso demais, Carrie e dramas de menos. É divertido, obviamente, mesmo porque nada tira o charme e o poder do guia prático da mulher moderna mais poderoso dos quase 20 últimos anos, mas acho que poderia ter sido um pouquinho diferente.

Ainda assim, os souks, os aromas das festas no deserto e o luxo de Abu Dhabi realçam o tom de uma viagem com a cara da riqueza que Samantha promove para as quatro amigas. Os cenários são lindíssimos e bastante fieis à realidade dos Emirados, só que é importante ressaltar que as filmagens foram feitas no Marrocos, uma vez que o governo dos Emirados preferiu evitar a fadiga e não permitiu que o longa fosse rodado nas suas areias. Relembrando nossos perrengues, em Abu Dhabi a "fiscalização moral" é um pouquinho mais pesada, mas ainda assim dá pra se aventurar e experimentar a cidade como uma diva deve fazê-lo!

Prepare a festa e se inspire. Quem sabe o próximo filme não seja o da sua vida com suas irmãs por opção?  Nada melhor que uma produção independente, e, melhor ainda, quando é a sua! <3

Até mais!

Você também poderá gostar de:

5 comentários

Receba o #SinTrip por email



Curta o #SinTrip no Facebook